Da ideia na cabeça ao chopp no copo

Empresário brusquense fabrica chopp encorpado e consistente e cria cervejaria que é  “zehn”

Hamilton da Silva

Marco Aurélio Kistner



Em 2002 um grande apreciador de cerveja chamado Hylário Zen teve a iniciativa de fabricar seu próprio chopp e logo iniciou a produção de 100 litros por mês. “O sabor inigualável se espalhou entre os familiares e amigos, levando a aumentar a produção”, explica Zen.

Assim, em 24 de outubro de 2003, foi fundada a Zehn Bier, realizando um sonho de produzir um chopp artesanal com as verdadeiras características alemãs de puro sabor. Zehn significa “dez” em alemão, que é a proposta da cervejaria. Numa era de culto à tecnologia, o chopp artesanal segue firme na proposta de valorizar as tradições.

Produtos

Hilário Zen ressalta que a principal característica do Chopp Zehn Bier é a de não ser filtrado, o que deixa a bebida mais consistente e encorpada. “O processo de maturação e fermentação formam um produto de sabor inigualável. Sem qualquer adição de produtos químicos o chopp é testado, embarrilado e engarrafado diretamente dos tanques”.

O chopp, como outras bebidas alcoólicas, segue sempre uma determinada classificação. Pode ser de acordo com o teor alcoólico, tipo de extrato utilizado, características do malte ou ainda o tipo de fermentação.

A bebida Pilsen, chopp ou cerveja, é a mais consumida no Brasil e tem esse nome por se utilizar de um tipo específico de malte chamado Pilsen – originário da cidade de Pilsen, na República Checa. Suas características incluem a utilização de extrato primitivo e baixa fermentação (baixo teor de extrato que resulta em um sabor menos amargo no produto final) durante a fabricação. A Pilsen também é reconhecida por sua cor clara e teor alcoólico médio (de 3% a 5%). Existem centenas de tipos de chopp em todo o mundo; desses, a imensa maioria pode ser classificada em Ale ou Lager. As cervejas do tipo Ale são produzidas por meio de alta fermentação (fermentação induzida por altas temperaturas) e as do tipo Lager utilizam-se de baixa fermentação (a temperaturas baixas). As cervejas Pilsen e Bock, mais comuns no Brasil, são classificadas como Lager, consideradas mais leves e secas que suas irmãs Ale, cujo principal expoente é a irlandesa Guinness.

Chopp Porter:

Sua produção é de origem inglesa e fabricada a partir do processo de fermentação alta, assim chamada porque ela ocorre a uma temperatura elevada, fato que leva as leveduras a subirem à superfície deixando a cerveja escura, forte e encorpada. Produzido com três tipos de malte (Pilsen/Pilsen Torrado/Pilsen Caramelo) tem o teor alcoólico mais acentuado.

O idealizador da Zehn Bier em Brusque aproveitou para comercializar, “Os dois tipos de chopp estão a disposição em barril de 10, 20, 30, 50 litros e garrafas de 600ml e Long Neck de 355ml”.

Hilário Zen ressalta que, atualmente, a Zehn Bier atende a maior parte das festas de outubro em Santa Catarina e fora do estado também. “Nós cumprimos uma lei, denominada “Pureza da Cerveja”, e o nosso produto vem sendo bem aceito e procurado para as mais diversas confraternizações através do nosso disque chopp. Como servimos aqui na Zehn Bier, é servido nas festas também, com a mesma qualidade e sabor”.

O empresário diz que o sabor do produto não altera no transporte quando é solicitado. “O chopp é embarrilado e engarrafado diretamente dos tanques, e isso ajuda”.

A Reinheitsgebot ou Lei da Pureza  da Cerveja

Guilherme IV, duque da Baviera (região alemã onde está Munique), no dia 23 de abril de 1516, assinou a Reinheitsgebot, a Lei de Pureza da Cerveja – a qual determinava que a cerveja local, só poderia, dali em diante, ser produzida utilizando-se apenas água pura, malte e lúpulo. O fermento, por sua vez, foi incluído nesta lei algum tempo mais tarde, uma vez que ainda não era conhecido.

Veja a Lei na íntegra:

“Como a cerveja deve ser elaborada e vendida neste país, no verão e no inverno: Decretamos, firmamos e estabelecemos, baseados no Conselho Regional, que daqui em diante, no principado da Baviera, tanto nos campos como nas cidades e feiras, de São Miguel até São Jorge, uma caneca de 1 litro (1) ou uma cabeça (2) de cerveja sejam vendidos por não mais que 1 Pfennig da moeda de Munique, e de São Jorge até São Miguel a caneca de 1 litro por não mais que 2 Pfennig da mesma moeda, e a cabeça por não mais que 3 Heller (3), sob as penas da lei. Se alguém fabricar ou tiver cerveja diferente da Märzen, não pode de forma alguma vende-la por preço superior a 1 Pfennig por caneca de 1 litro . Em especial, desejamos que daqui em diante, em todas as nossas cidades, nas feiras, no campo, nenhuma cerveja contenha outra coisa além de cevada, lúpulo e água. Quem, conhecendo esta ordem, a transgredir e não respeitar, terá seu barril de cerveja confiscado pela autoridade judicial competente, por castigo e sem apelo, tantas vezes quantas acontecer. No entanto, se um taberneiro comprar de um fabricante um, dois ou três baldes (4) de cerveja para servir ao povo comum, a ele somente, e a mais ninguém, será permitido e não proibido vender e servir a caneca de 1 litro ou a cabeça de cerveja por 1 Heller a mais que o estabelecido anteriormente”.

Guilherme IV, duque da Baviera, no dia de São Jorge (23 de abril), no ano de 1516, em Ingolstadt

A medida foi tomada após o duque ter se embriagado de bebida de má qualidade, o que o deixou irritado e o fez promulgar a lei.

No Brasil as cervejarias artesanais, preocupadas com a qualidade do produto oferecido, como a Zhen Bier, também seguem a lei. Além da mais alta qualidade das matérias primas utilizadas, a Zehn Bier conta com altíssimos índices de higiene e limpeza em todos os processos controlados pelo seu próprio laboratório, tendo sob responsabilidade do seu mestre cervejeiro Curt Zastrow, conhecido e referenciado em todo país, diplomado em Munique no ano de 1972.

Zastrow explica que a qualidade dos produtos é fundamental para uma boa bebida. “Temos grande controle nas matérias primas que compramos, fazemos análises e testes para oferecer o melhor produto aos nosso clientes”.

Zehn Bier:

O nome Zehn Bier foi dado a partir de uma alteração do sobrenome da família Zen, acrescentando a letra “H”, letra inicial do nome do fundador “H”ylário, o resultado dessa alteração é Zehn, que significa dez em alemão.

VÍDEO

Anúncios