Oligoterapia, o tratamento de dentro pra fora

A ciência e a tecnologia avançam juntas no atendimento estético possibilitando a reposição dos oligoelementos no corpo humano.

Fernanda Luiza Muller Dellagiustina

Joecy Henings

Jônata Gonçalvez da Silva

Procedimento da oligoterapia

É frequente a procura por tratamentos estéticos milagrosos e a promessa de um corpo perfeito chama cada vez mais a atenção da maioria das mulheres e também dos homens.

Nesse sentido, a tecnologia veio para contribuir com os desprazeres da rotina que são quase inevitáveis. Dores de cabeça, instabilidade emocional, queda de cabelo, ansiedade, unhas fracas, falta de memória podem ser tratados pela oligoterapia, ou como também é conhecida, medicina funcional.

Esta ciência foi criada em 1932 pelo médico e estudioso Jacques Menetrier, na França. Esta técnica promete tratar as disfunções do corpo e da estética através dos oligoelementos (minerais). Estes minerais, como o cobalto, enxofre, manganês, níquel, silício, estânio, potássio, ferro, iodo entre outros são encontrados em pouca quantidade em nosso corpo.

A medicina funcional foi trazida para o Brasil há cerca de dez anos. Na cidade de Balneário Camboriú uma clínica pioneira na área de oligotecnologia, a Oligoflora trata as disfunções do corpo e da mente através da oligoterapia.

Segundo a oligoterapeuta Ana Caroline Pasqualotto, é através da alimentação que nosso corpo produz esses sais minerais, porém hoje os hábitos alimentares estão cada vez menos saudáveis e, portanto, sem a presença desses minerais que precisamos para o equilíbrio funcional do corpo.

Pasqualotto explica que para que seja feita a reposição desses oligoelementos (minerais), é realizado um mapa metabólico para avaliar qual a deficiência e o tratamento que será utilizado.

A cosmetóloga Érica esclarece o que é e como ocorre o processo de ionização feita nas clientes. No vídeo abaixo, é feita uma demonstração do tratamento com oligoelementos através da corrente galvânica.

Solange Meinerz, paciente da Oligoflora, relata que procurou a clínica em um período muito conturbado de sua vida. A insatisfação com o seu peso excessivo e a falta de ânimo em várias atividades do seu cotidiano que isso proporcionava, a deixa infeliz. “Procurei vários tratamentos e em nenhum deles consegui o que queria. Até comecei a passar mal com alguns medicamentos que prometiam ser milagrosos”, confessa Meinerz. “Quando conheci a proposta de desintoxicação e reposição de minerais com a ajuda profissional e avaliação metódica, foi um passo até a realização de meus objetivos, pois um tratamento estético de dentro para fora foi a primeira vez que conheci e confesso que me arrependo de não ter procurado antes”, completa. Após dois meses de tratamento, Solange emagreceu 9kg. Sua vida social e sexual melhorou. Combinando exercícios físicos e alimentação fragmentada, os benefícios que a oligoterapia oferecem foram visíveis.

Cuidar da saúde emocional também é importante

Trabalhar com a estética corporal de pacientes que buscam a saúde de seu corpo é delicado e exige o profissionalismo necessário para que os resultados sejam satisfatórios. A questão da auto estima está diretamente relacionada com o se gostar. O indivíduo que não se sente bem e à vontade com alguma particularidade de seu corpo terá consequentemente o seu bem estar afetado, seja nos relacionamentos interpessoais, sociais, amorosos, enfim, com tudo ao seu redor e com ele mesmo.

É importante que esse trabalho seja feito por pessoas qualificadas, éticas e, sobretudo, com conhecimento científico. O psicólogo Pedro Antônio Geraldi, alerta que o profissional deve interpretar o desejo de quem busca o tratamento. Se o que é procurado é só um caso de estética ou não. “O grande problema é a busca excessiva pela beleza. Indivíduos que identificamos certo extremismo nessa busca pela saúde estética podem causar futuros problemas emocionais e corporais. Como é o caso de pessoas com bulimia”, orienta Geraldi.

O psicólogo esclarece também que é preciso ter cuidado com as implicações emocionais de um determinado tratamento ou medicamento que o cliente inicie. Frustrações originadas de pacientes que não obtiveram os resultados desejados podem agravar sutis problemas emocionais.

O pensamento positivo de pacientes em seus tratamentos é algo que é muito estudado e que não tem ainda comprovação científica que defenda sua eficácia. Porém, Pedro Antônio Geraldi acredita que partindo do princípio que determinado indivíduo que busca o seu benefício, seja emocional ou físico, terá mais êxito nos resultados do que uma pessoa cética.

Equipamento utilizado para a oligoterapia

Anúncios